Final Fantasy 16 não será um jogo de mundo aberto, mas isso não significa que também será super linear, de acordo com o produtor do jogo. Final Fantasy XV levou a série para o gênero de mundo aberto, permitindo que os jogadores explorassem livremente o mundo e até usassem um carro para dirigir pelo mapa. Final Fantasy VII Remake ainda permitia alguma exploração, mas era muito mais limitada e não tão expansiva quanto xv, o que não é muito surpreendente, pois estava tentando permanecer fiel ao jogo original. Parece que o Final Fantasy 16 não continuará com o precedente definido pelo jogo anterior da linha principal.

EITA!!

De acordo com o produtor Naoki Yoshida, ao falar com o IGN, a Final Fantasy 16_ não será do mundo aberto e, em vez disso, se concentrará no design baseado em área que permite que o jogo tenha uma sensação mais global. Isso permite que a Square Enix crie várias áreas focadas, em oposição a uma grande área limitada por sua localização geral, ou seja, uma cidade ou um país pequeno. No momento, resta ver o tamanho de algumas dessas áreas, mas Yoshida notou que o jogo será inspirado por outros jogos do mundo aberto, por isso manterá parte desse sentimento.

Encontramos em nossa extensa pesquisa de usuários que muitos dos mais jovens de jogadores nunca fizeram uma fantasia final ou não têm nenhum interesse na série, diz Yoshida. Para criar um jogo que possa excitar e ressoar não apenas com nossos fãs centrais, mas também com essa nova geração, jogamos muitos jogos nós mesmos, e sim, em [Final Fantasy 16], você encontrará inspiração no Triple recente recente-Um RPGs de mundo aberto.

Há muita fantasia final a caminho. Final Fantasy 16 conseguiu um novo trailer no recente PlayStation State of Play, foi confirmado que o Final Fantasy VII Rebirth será lançado no próximo inverno, e estamos tendo um terceiro jogo na saga do remake. Deve haver muito para os fãs se aprofundarem nos próximos anos.

Final Fantasy 16 lançamentos no próximo verão no PlayStation 5. O que você acha do jogo não ser o mundo aberto? Deixe-me saber nos comentários abaixo ou me acerte no Twitter @cade_onder.