Uri Geller acredita que Kadabra poderia estar fazendo seu tão esperado retorno ao pokemon Trading Card Game muito em breve. Falando com o site Pokemon Trading Card Game Pokebeach, o mundialmente famoso Psychic Geller disse que seu agente estava recentemente em contato com a empresa Pokemon e que ele acredita que um novo cartão Kadabra poderia estar chegando em breve, talvez o mais cedo possível Dezembro. Geller também compartilhou a correspondência entre ele e o presidente e CEO da empresa Pokemon, Tsunekazu Ishihara, e uma exibição de cartão Kadabra e Alakazam que pendem no Museu de Geller em Israel.

Geller é uma personalidade televisiva mais conhecida por seus truques de dobra de colher. O nome japonês de Kadabra, Yungerer, é uma referência a Geller, e Kadabra e Alakazam carregam colheres em referência ao seu mais famoso truque ilusório. Geller processou a Nintendo por Kadabra em 2000 por causa do personagem, alegando que a Nintendo havia usado sua semelhança para um malvado pokemon oculto. Desde então, a empresa Pokemon confirmou que não apresentaria Kadabra no jogo pokemon Trading Card, até que o processo fosse resolvido. Alakazam permaneceu no jogo _pokemon Trading Card, normalmente vinculado a vários mecânicos que permitiam que os Pokemon totalmente evoluídos fossem jogados como Pokemon básico. Kadabra não aparece no anime _pokemon desde 2006, exceto por uma breve aparição em um filme de Pokemon em uma foto em massa de todas as espécies de Pokémon na época.

Kadabra

Em 2020, Geller pediu desculpas pelo processo e deu seu consentimento para que novos cartões Kadabra fossem impressos, embora nenhum novo Kadabra Carting tenha sido impresso. No final deste ano, o pokemon Trading Card Game publicará outro cartão Alakazam na forma de um Alakazam Radiant, um cartão que pode ser diretamente sem ser evoluído. No entanto, com o anúncio da série Scarlet & Violet que deve ser lançada no Japão ainda este ano, pode ser o primeiro conjunto a apresentar um Kadabra desde 2002 e o primeiro conjunto para apresentar um cartão ABRA desde 2007.